segunda-feira, janeiro 30, 2006

Piscina de hotel suga garoto em Goiânia. (Brasil)

Uma comporta de escoamento de água de uma piscina da Pousada do Rio Quente, em Rio Quente, a 180 km de Goiânia foi aberta para drenar a água para o Rio quando o garoto Raphael Noguchi Dapino, de 12 anos, morreu ao ser sugado pela força da água. O acidente ocorreu pouco depois da meia-noite do dia 23 deste mês, porque o garoto e um primo de 8 anos mergulharam na água. A piscina estava sendo esvaziada para limpeza. Ao perceber o que havia ocorrido o primo do menino gritou por socorro. Um funcionário do Resort e dois hóspedes entraram na piscina para retirar Raphael, que foi atendido pela equipe médica do complexo mas não resistiu. Segundo a assessoria de Marketing da Pousada do Rio Quente, todos os hóspedes foram avisados que a piscina estava em manutenção e seria esvaziada. A tia do menino, Yukie Massuda, falou em entrevista ao jornal "O Popular" de Goiânia, que a piscina não estava interditada para a limpeza, que não havia placas avisando sobre o perigo de tomar banho naquele local e que o marido dela e outras pessoas, idosos e crianças, estavam na piscina na hora da tragédia. O laudo técnico é que vai dizer se houve ou não negligência do resort.
Fonte: Jornal impresso O Estado de São Paulo, Caderno C10 de 26/01/2006 com adaptações.

Nossas observações: Esse é um típico caso de Responsabilidade Civil a ser definida. Essa responsabilidade, dependendo das apurações dos fatos, pode ser caracterizada como objetiva (independente de culpa) ou subjetiva (na qual se apura a culpa).

1 Comments:

At 2:07 da tarde, Blogger mdmasseno said...

Em Julho de 1993, também duas crianças foram sugadas em Portugal.
Este caso promocou uma profunda impressão no pais e esteve na origem de um processo que decorreu durante 9 anos.
Adicionalmente, levou à aprovação de uma regulação desta actividade, em 1997.

 

Enviar um comentário

<< Home